Neurocirurgia

Neurocirurgia da Policlínica de Botafogo

Equipe de alto nível técnico e suporte hospitalar garantem a qualidade dos serviços prestados

A neurocirurgia é a especialidade da medicina que diagnostica e trata pessoas de todas as idades, mesmo fetos, em alguns casos, quando possuem problemas no sistema nervoso central e periférico. Isso significa que pode resolver doenças que afetam não só o cérebro, como, também, a coluna, a medula e os nervos periféricos.

Embora o nome neurocirurgia dê a impressão de que se trata de uma área que atua apenas quando existe a necessidade de intervenção cirúrgica, a verdade é que, nessa área, também, entra a prevenção de lesões e patologias. Além disso, os profissionais neurocirurgiões podem avaliar pacientes e cuidar da sua reabilitação.

Já as doenças que podem ser tratadas pela neurocirurgia são as doenças vasculares, como aneurismas e a obstrução arterial, além das patologias degenerativas, os tumores, as lesões raqui-medulares e os traumas crânio-encefálicos. Outros exemplos são os traumas na coluna vertebral, dor crônica na coluna, hérnias de disco e hidrocefalia.

O departamento de Neurocirurgia da Policlínica de Botafogo possui atendimento ambulatorial, com hora marcada, das 7 às 18:30h.

Possui uma equipe de renomados especialistas.

Marcação de consultas: 2244 8750

Equipe especialista em Coluna

Atuação na avaliação e tratamento conservador e cirúrgico da dor na coluna

Perguntas frequentes

Veja as principais dúvidas de quem sofre de dor na coluna

1Quando procurar o especialista em coluna?

A avaliação médica de um especialista em coluna é muito importante em algumas situações clínicas específicas. A presença de dor na coluna é um sintoma freqüente na população em geral e, felizmente, na maioria dos casos dura pouco tempo e melhora espontaneamente. Cerca de 80% das pessoas terão dor na coluna vertebral em algum momento da vida.

Grande parte dos sintomas agudos da coluna podem ser efetivamente manejados pelo seu médico de confiança (clínico geral, ortopedista, neuro, fisiatra, etc).

É muito importante ter uma avaliação inicial com seu médico, pois ele irá fazer o diagnóstico inicial e definir se o problema está relacionado ou não à coluna vertebral. Muitas situações clínicas tão ou até mais importantes podem entrar no diagnóstico diferencial.

Se o sintoma na coluna vertebral persistir, ou houver indicação do seu médico, procure um especialista com treinamento específico em Coluna Vertebral.

2Qual é o médico especialista em coluna?

Para escolher um bom especialista na área, verifique a formação do médico em questão e se o mesmo é especialista pela Sociedade Brasileira de Coluna (SBC), um órgão nacional que regula a prática no país.

Para o especialista em coluna ser membro da SBC ele necessita ter completado os 6 anos da graduação em medicina, ter realizado residencia médica em Ortopedia e Traumatologia ou Neurocirurgia e realizar treinamento e prova de título específica.

A formação do médico ortopedista especialista em coluna é de 3 anos de residência médica na área de problemas musculoesqueléticos e mais 2 anos de especialização específica em Cirurgia da Coluna. Já o médico neurocirurgião faz residencia médica de 5 anos na área de problemas do crânio e coluna.

Após completarem a formação, ambos os médicos estão habilitados a se titularem pela SBC e a tratarem as diversas afecções da coluna vertebral.

Ambos os profissionais tratam doenças semelhantes (dores na coluna, hérnias de disco, estenoses, fraturas, deformidades, tumores, etc) e possuem técnicas similares na cirurgia da coluna. Entretanto, há algumas patologias mais comumente tratadas por cada especialista. Por exemplo, ortopedistas em geral são mais habituados com deformidades da coluna (escolioses, cifoses, etc). Já neurocirurgiões são mais habituados com tumores intra-medulares e do sistema nervoso central. Entretanto, essa diferenciação nem sempre é bem clara e tudo irá depender da formação de cada médico.

liose, desvios)...
3Quais são os tratamentos existentes?

Existe uma série de abordagens terapéuticas, por isso é importante um diagnóstico adequado e um conhecimento ampla das possibilidades. Abaixo, listo as abordagens no combate à dor da coluna, mas lembre-se que apenas o especialista, após avaliar o seu caso e histórico, está apto a apontar o tratamento mais adequado.

Medicação
Fisioterapia
RPG
Infiltrações na Coluna
Cirurgia

4Quais são os problemas mais comuns na coluna?

Boa parte das queixas dos pacientes em dores na coluna são decorrentes dos problemas abaixo listados. No entanto, apenas o especialista pode diagnosticar sua condição e, desse forma, avaliar a conduta correta:

Hérnia de disco
Seu disco é formado por 2 camadas. Uma externa e mais rígida (anel fibroso) e outra interna e mais mole (núcleo pulposo). Quando essa camada externa rígida se rompe, a camada interna mole pode sair para fora e comprimir a medula espinhal ou algum nervo. Isso causa dor e pressão local, levando muitas vezes a dor irradiada para algum braço ou perna.

Escoliose
A sua coluna vertebral no plano coronal (olhando de frente, ou de costas) normalmente é retilínea, podendo ter pequenas variações de inclinações e curvas até 10 graus. Quando existe uma curva acima de 10 graus neste plano, dizemos que está presente uma Escoliose.

As escolioses não apresentam uma causa identificada em 80-90% dos pacientes, sendo chamadas de "idiopáticas". Uma minoria (10-20%) apresentam um fator causal secundário (escolioses congênitas, neuromusculares, neurofibromatose, etc.) que pode ser identificado. Quando avaliamos as escolioses idiopáticas (as mais freqüentes), essas podem ser divididas de acordo com o início de seu aparecimento em:

- Infantil (início antes dos 3 anos de idade)
- Juvenil (entre 3 e 10 anos de idade)
- Adolescente (entre 10 e 18 anos de idade)
- Adulto (após os 18 anos de idade)

Independente do tipo de escoliose apresentada e a idade de seu surgimento, é muito importante a avaliação periódica com um especialista em Coluna, para determinar se há necessidade do uso de coletes (órteses), avaliações radiográficas adicionais e, até mesmo, cirurgia.

Cifose
A sua coluna vertebral no plano sagital (olhando de perfil ou de lado) normalmente apresenta 3 curvaturas:

- Lordose Cervical
- Cifose Torácica
- Lordose Lombar

Na região da Coluna Torácica o valor normal de cifose pode variar de 20 a 45 graus. Nos casos de pacientes que apresentam grau de Cifose acima de 45-50 graus, faz-se o diagnóstico de Hipercifose.

A hipercifose muitas vezes é flexível e postural (dorso curvo postural), porém em alguns casos pode ser rígida e progressiva (ex.: Doença de Scheuermann, cifose congênita, etc).

Torcicolo e Dor na Coluna Cervical
Esse é um dos sintomas mais freqüentes na Coluna Cervical. O aumento do sedentarismo, postura ruim, uso de celulares e computadores de forma incorreta, tensão muscular e stress do dia-a-dia são os principais fatores responsáveis pelo surgimento do torcicolo.

Dor na Coluna Lombar
A Dor na Coluna Lombar está presente em até 80% da população. A dor lombar mais freqüente é a mecânico-postural e geralmente melhora em poucos dias. Entretanto, muitas condições podem cronificar a dor ou, eventualmente, complicar o quadro clínico.

Osteoporose na Coluna
Com o passar dos anos nossos ossos tendem a perder a mineralização e se tornarem mais susceptíveis a fraturas. O aparecimento da osteopenia e, principalmente, a osteoporose deve ser monitorado e adequadamente tratado. Normalmente essa alteração é mais evidente nos ossos da coluna (vértebras). O risco de fratura da coluna aumenta muito, até mesmo fratura espontâneas sem trauma associado.

Espondilolistese
Isso ocorre quando uma vértebra escorrega em relação a outra vértebra. Pode ser causado por algum traumatismo, decorrente de artrose e até mesmo por alguma falha óssea crônica com sobrecarga da coluna. Esse escorregamento determina uma instabilidade local entre as vértebras, podendo causar dor nas suas costas e até mesmo dor irradiada para os braços ou pernas, por compressão das raízes nervosas.

Degeneração do disco
É um processo natural que ocorre com o envelhecimento, fazendo com que o conteúdo de água do disco diminua. Perdendo água, o disco perde altura e pode levar a uma hérnia (quando o conteúdo mole sai de dentro da camada externa mais rígida). Esse problema pode ocorrer em qualquer parte da coluna, sendo mais comum nas transições entre a coluna cervical/torácica e coluna lombar/sacral.

Estenose do canal vertebral

A estenose acontece quando o canal por onde passa a medula e os nervos na coluna torna-se estreito.
Isso por ser causado pela idade, artrose ou alguma lesão ou traumatismo. Esse estreitamento pode comprimir os nervos e levar a dor, alteração de sensibilidade e até mesmo fraqueza.

Fraturas na Coluna
As fraturas na coluna são lesões traumáticas que podem ocorrer em traumas de alta energia (acidentes automobilísticos, quedas de altura, etc..) ou baixa energia (osteoporose, lesões ósseas metabólicas, neoplasias).

O local mais frequentemente afetado é a transição da coluna tóraco-lombar. É importante o seu diagnóstico precoce para evitar deformidades. Existem diversas opções de tratamentos para as fraturas na coluna.

Diagnóstico da dor na coluna

Um diagnóstico preciso é a base de todo tratamento para a coluna. É através do diagnóstico que o médico especialista em coluna irá elaborar um plano de tratamento individualizado para você. Para isso, além de avaliar o seu histórico pessoal e realizar o exame clínico, o especialista conta ainda com recursos avançados, como exames de imagem e procedimentos diagnósticos

Quando Fazer o Diagnóstico

A coluna vertebral possui uma estrutura complexa, que pode ser afetada devido ao desgaste, sobrecarga e inflamações nas articulações. Os problemas podem se apresentar de diversas maneiras, por isso é importante estar atento aos seguintes sintomas:

  • Pessoas que sofreram acidentes, quedas ou contusões
  • Pessoas com dor nas costas crônica
  • Presença de febre, tremores ou sudorese
  • Pessoas que perdaram peso e tem dor nas costas
  • Quem está com redução da capacidade do movimento
  • Que sente alteração de força nas pernas ou nos braços
  • Pessoas com dor que irradia para os membros
  • Pessoas com alteração de sensibilidade
  • Dor na coluna a mais do que 6 semanas

Corpo Médico

O serviço de Neurocirugia da Policlínica de Botafogo é realizado por profissionais de reconhecida capacidade técnica e com larga experiência em cirurgias neurológicas.
  • Dr. Gianni Ferraz Temponi
  • Dr. Vicente Ferraz Temponi
  • Dr. Felipe Mourão
  • Dr. João Klescoski Junior

Tratamento da dor na coluna

Os tratamentos são individualizados. Cada caso é diferente. Por isso é importante um diagnóstico correto do seu problema.

Procedimentos

Existem os tratamentos conservadores (medicação e fisioterapia), minimamente invasivos (feitos sem a necessidade de anestesia geral) e os cirúrgicos. No entanto, vários fatores são levados em consideração para a tomada de decisão adequada. Daí a importância da avaliação clínica e, sendo necessário, complementação com exames de imagem.

Os principais tratamentos são:

  • Bloqueio para controle de dor
  • Infiltração
  • Fisioterapia
  • Cirurgia

Convênios

O serviço de Neurocirurgia da Policlínica de Botafogo possui uma ampla relação de operadoras de saúde. Certifique-se com nossas atendentes se o seu plano disponibiliza o serviço que deseja realizar. Ligue (21) 2244-8750